reflexoterapia-logo
Estamos de Casa Nova!

Para melhor atendimento estamos em um novo endereço:
Visite o novo site...
Mas antes leia o artigo que preparamos para você sobre Reflexologia Podal

Reflexologia Podal

“Busca o equilíbrio físico e emocional através de estímulos em pontos específicos nos pés”.

reflexologia-equilibrio

Equilíbrio que a Reflexologia Proporciona

O QUE É EQULÍBRIO?

Palavra em latim: aequilibriu, que significa justa proporção, harmonia, domínio de si mesmo, estado de um corpo que é atraído ou solicitado por forças cuja resultante é nula.

“A nossa civilização está condenada porque se desenvolveu com mais vigor materialmente do que espiritualmente. O seu equilíbrio foi destruído”. (Albert Schweitzer)

A IMPORTÂNCIA DO EQUILÍBRIO

reflexologia-podal-elefante-equilibrio

Reflexologia Podal Equilibra o Organismo

O mundo moderno anda em desequilíbrio. Verificamos isso, infelizmente, no cotidiano, seja no inter-relacionamento entre as pessoas, nos desastres ecológicos e fenômenos naturais, no aumento das doenças e epidemias, nas mentiras deslavadas das mesmas pessoas que deveriam ser nossos modelos de probidade, na falta alguns recursos naturais e na extinção de algumas espécies de fauna e flora, na escalada de crimes e na violência urbana. A lista é infindável. O ser humano está indo além do seu padrão, partindo para o exagero, saindo do equilíbrio.

O ser humano chegou ao absurdo de querer “normatizar” até a própria natureza, tentando controlar o incontrolável e desestabilizando o equilíbrio natural das coisas. Deu no que deu. A natureza, sempre sábia e soberana, reage a essa ingerência produzindo terremotos, maremotos, aumento da temperatura global, tsunamis, degelos das capas glaciais, epidemias virais ou de origem animal que contaminam o ser humano e outras manifestações ecológicas.

Comer é bom. Demais é ruim. A pessoa se torna um glutão. Exercitar-se é bom. Demais é ruim. As células do corpo oxidam e envelhece-se mais cedo. Trabalhar é bom. Demais é ruim. A pessoa se torna um “workaholic”. A ambição é boa. Demais torna a pessoa gananciosa. Amar é bom demais, mas amar demais pode transformar a relação em paixão, que tem a mesma origem da palavra patologia; ambas derivam da palavra grega pathos, que significa doença, desvio, sofrimento. Até o estresse é bom. Faz a gente se agitar, mas, quando é demais, sabemos os malefícios que nos traz. Portanto, o importante é buscar o equilíbrio.

REFLEXOLOGIA

Reflexo-logia (do grego logos = conhecimento, estudo): estudo dos reflexos, ou seja, a ciência que estuda os efeitos dos reflexos no organismo humano.

É uma arte suave, uma ciência fascinante e uma forma extremamente eficaz em massagem terapêutica que conquistou um lugar de destaque no campo da medicina complementar.

É uma técnica curativa holística – o termo “holístico” é derivado da palavra grega holos , que significa “inteiro” e, assim procura tratar o individuo como um todo.

Sendo uma terapia holística, a Reflexologia tem por objetivo tratar o corpo como um todo e esforça-se por chegar à causa da doença e tratar a ela em vez de aos sintomas. O Reflexoterapeuta não é o maior responsável pela saúde do cliente. Em todas as terapias holísticas é enfatizada a necessidade de o indivíduo assumir a responsabilidade pelo seu próprio estado de saúde. Na medicina convencional, a tendência é transferir responsabilidade para o médico e esperar que ele cure todas as doenças.

A doença é o resultado direto dos pensamentos e ações das pessoas. A mente é extraordinariamente poderosa e afeta todas as células do corpo. Isso provoca a ocorrência de mudanças químicas. Emoções negativas, como a ansiedade, o desgosto, o medo, a preocupação, vão causar repercussões negativas.

O desenvolvimento, da Reflexologia Podal, demonstrou que há regiões do corpo (plexos nervosos) que têm ligação claramente determinada com órgãos, sistemas e estados emocionais. Plexos nervosos são concentrações de terminações nervosas interligadas numa área específica. Quando estimulados corretamente, enviam e recebem informações dos órgãos a que são ligados, restabelecendo o seu funcionamento ideal e, por consequência, a saúde global do organismo.

Nos estudos da Reflexologia enquadram-se a Auriculoterapia (reflexos das orelhas), Quiropraxia (reflexos da coluna), Quiroreflexologia (reflexo das mãos) e Reflexoterapia Podal (reflexos dos pés), pois são regiões com alta concentração de plexos nervosos. Abordaremos apenas a Reflexoterapia Podal, pois é onde encontramos todas as terminações nervosas já estudadas.

REFLEXOTERAPIA PODAL

Reflexoterapia Podal, é a aplicação da Reflexologia. Embora, às vezes, seja erroneamente confundida com massagem nos pés, a Reflexoterapia é a técnica capaz de avaliar e tratar distúrbios físicos e emocionais por meio de estímulos em plexos nervosos relacionados ao órgão ou à característica emocional em tratamento.

Nos pés, há uma representação fiel de todo o organismo, havendo, no mínimo um plexo capaz de estimular cada órgão ou víscera.

A Reflexoterapia traz diversos benefícios, tanto aplicada isoladamente como na potencialização de outros métodos. Tem sido usada, com muito sucesso, por fisioterapeutas, médicos, terapeutas e por todos que trabalham pelo bem-estar físico e emocional de seus pacientes. A Reflexoterapia também tem se mostrado muito eficiente para o desenvolvimento do autoconhecimento.

Para proporcionar tais resultados, a Reflexoterapia Podal atua sobre o funcionamento do sistema nervoso (SN), eliminando acúmulos de sangue nos plexos nervosos dos pés. A técnica restabelece a comunicação perfeita do cérebro com o organismo. Quando forma-se um acúmulo de sangue em determinado plexo, verifica-se o comprometimento da função a que ele é interligado, causado por problemas na comunicação do sistema nervoso.

Eliminando interferências no sistema de feedback, a Reflexoterapia permite ao cérebro detectar com maior eficiência possíveis problemas no organismo e, por conta própria, iniciar o processo de defesa e recuperação.

A simplicidade do tratamento não corresponde à sua eficácia. A técnica é tão simples que não requer anos de treinamento e não é necessário nenhum equipamento complicado ou tecnologicamente sofisticado. Um bom terapeuta precisa apenas de um bom par de mãos sensíveis porem vigorosas, de um genuíno desejo de aliviar a dor e o sofrimento, compaixão, intuição e uma compreensão da natureza humana.

ORIGENS DA REFLEXOLOGIA

As origens da Reflexologia remontam à antiguidade, quando as terapias de pressão eram conhecidas como uma forma de medicina preventiva e terapêutica.

Embora não se saiba ao certo quando e como isso começou, as evidências indicam que a massagem terapêutica nos pés tem sido praticada por diversas culturas ao longo da história.

De acordo com uma teoria que goza de larga aceitação, a reflexologia nasceu na China há 5.000 anos.

Vários reflexologistas respeitados manifestaram sua crença nessa teoria, muito embora as evidências concretas sejam ambíguas. Todavia, as culturas egípcia e babilônica desenvolveram-se antes da chinesa, e o Egito contribuiu com uma valiosa evidência histórica.

O documento mais antigo que descreve a prática da Reflexologia, foi encontrado em escavações no Egito. Essa evidência, um pictograma produzido em torno de 2.500 a 2.330 A.C, foi descoberto na tumba de Ankmahor, um médico egípcio, em Saqquaral.

Origem da Reflexologia

Origem da Reflexologia

Uma forma de Reflexologia foi conhecida e praticada na Europa até o século XIV. A terapia por pressão era bem conhecida nos países da Europa Central e praticada pelos membros das classes trabalhadoras, que cuidavam das doenças da realeza e das classes superiores.

Os Drs. Adamus e A’tatis escreveram um livro sobre a Terapia por Zonas, que foi publicado em 1582. Em Leipzig, o Dr. Ball escreveu outro livro sobre o mesmo assunto, que foi publicado pouco depois do primeiro.

Em 1898 em Londres, Sir Henry Head demonstrou a existência daquilo que se tornaria conhecido como “zonas de hiperalgesia”.

Na Rússia, Pavlov (1849-1963) desenvolveu a teoria dos reflexos condicionados, isto é: que existe uma relação simples e direta entre um estímulo e uma resposta. Os russos prosseguiram seu estudo sobre Reflexologia, tanto do ponto de vista fisiológico como psicológico. Eles utilizaram cientificamente técnicas da Reflexoterapia em pacientes com uma variedade de problemas e descobriram que a Reflexologia é um complemento eficaz da Medicina Tradicional.

Simultaneamente, os alemães também estavam pesquisando o tratamento de doenças por meio de massagens. No final da década de 1890 e no inicio da década de 1900, as técnicas desenvolvidas na Alemanha, tornaram-se conhecidas como “massagem reflexa”. Essa foi a primeira vez em que os benefícios dessas técnicas, foram creditadas a ações reflexas.

A base científica dos estudos dos reflexos tem sua origem nos estudos neurológicos realizados na década de 1890 por Sir Henry Head, de Londres. Em 1898 ele descobriu a existência de zonas da pele que se tornavam, hipersensível à pressão quando um órgão ligado por nervos a essa região da pele apresentava alguma doença. Após anos de pesquisas clínicas, Head demonstrou a existência daquilo que se tornaria conhecido como “Zonas de Head” ou “zonas de hiperalgesia”.

As pesquisas russas sobre reflexos começaram a partir de uma perspectiva psicológica. O fundador da fisiologia russa, Ivan Sechenov (que descobriu a inibição cerebral dos reflexos espinhais), publicou um trabalho em 1870, intitulado “Quem deve investigar os problemas da psicologia e como?”. Psicólogos liderados por Vladimir Bekhterev, fundador do Instituto Cerebral de Leningrado, aceitaram o desafio e atacaram-no através do estudo dos reflexos. Hoje os russos prosseguem seus estudos sobre reflexologia, tanto de um ponto de vista fisiológico como psicológico. Eles testaram cientificamente os efeitos da reflexoterapia em pacientes com uma variedade de problemas e descobriram que a Reflexologia é um complemento eficaz da medicina tradicional. Simultaneamente, os alemães também estavam pesquisando o tratamento de doenças por meio de massagens.

No final da década de 1890 e no inicio da década de 1900, as técnicas de massagens desenvolvidas na Alemanha tornaram-se conhecidas como “massagem reflexa”. Essa foi à primeira vez em que os benefícios de técnicas de massagem foram creditadas à ações reflexas. Ao que parece o Dr. Alfons Cornelius foi o primeiro a aplicar a massagem nas “zonas reflexas”. Segundo consta, em 1893 Cornelius sofreu uma infecção e, durante sua convalescença, recebeu uma massagem diária. Na estação de água ele observou o quanto era eficaz as massagens de um determinado médico. O homem trabalhava mais tempo nas áreas onde sentia dor e este conceito serviu de inspiração para Cornelius. Depois de examinar a si mesmo, Cornelius determinou que o seu massagista trabalhasse apenas as áreas dolorosas. As suas dores desapareceram rapidamente e em quatro semanas ele estava completamente recuperado. Isso o levou a usar a aplicação localizada de pressões em sua clinica. Ele publicou o seu manuscrito “Druckpunkte” ou “Pontos de Pressão, Origem e Significado”, em 1902. Os europeus expandiram suas pesquisas iniciadas pelas pessoas acima mencionadas. Os europeus expandiram as suas pesquisas, todavia o crédito por colocar a moderna reflexologia no mapa deve ir para os norte-americanos.

O Dr. Willian Fitzgerald, conhecido como o fundador da Terapia por Zonas, nasceu em Connecticut, Estados Unidos, em 1872. Formou-se em 1895 pela Universidade de Vermont e clinicou em hospitais de Viena e Londres.

Ele dividiu o corpo em zonas, que usava para fins de analgesia (tirar a dor). Aplicando pressão sobre uma parte especifica do corpo, ele aprendeu a prever que outras partes do corpo seriam afetadas.

Mas as zonas dos reflexos dos pés, tão importantes para a moderna Reflexologia, não receberam atenção especial por parte de Fitzgerald.

Fitzgerald e suas teorias não foram recebidos com entusiasmo pela comunidade médica. Entretanto, o

Dr. Joseph Shelly Riley e sua esposa Elizabeth, acreditaram em seu trabalho e usaram esse método durante anos. Riley aprimorou as técnicas e fez os primeiros diagramas e desenhos detalhados dos pontos reflexos localizados nos pés.

Fitzgerald, Bowers e Riley desenvolveram e aprimoraram a teoria da Terapia por Zonas, mas foi a assistente de Riley, Eunice Ingham, que provavelmente fez a maior contribuição para o surgimento da moderna Reflexologia. Foi através da sua incansável pesquisa e dedicação, que a Reflexologia tornou-se o que é hoje. Ela estabeleceu a distinção entre a Terapia por Zonas de maneira geral e o trabalho com os reflexos dos pés.

Eunice Ingham (1879-1974) é a mãe da moderna Reflexologia. Ela usou a Terapia por Zonas em seu trabalho, mas sentiu que os pés deveriam ser os alvos específicos devido a sua natureza altamente sensível. Ela os mapeou em relação às zonas e à seus efeitos sobre o restante da anatomia até chegar a produzir nos pés um “mapa” de todo o corpo. O trabalho foi tão bem sucedido que sua fama disseminou-se e ela agora é reconhecida como a fundadora da Reflexologia dos Pés. Levou sua obra ao público leigo porque percebeu que as pessoas poderiam aprender as técnicas reflexologicas apropriadas e, assim ajudar a sim mesmas, a suas famílias e amigos. Ela era convidada a falar em convenções e compartilhar seu conhecimento com pedicuros, massagistas, fisioterapeutas, naturopatas e osteopatas, e viajou pelos Estados Unidos, durante, durante mais de 30 anos, ensinando seu método através de livros, diagramas e seminários a milhares de pessoas, inclusive membros da comunidade medica. Ela escreveu dois livros: Histórias que os pés podem contar, 1938 e Historias que os pés contaram, 1963.

A Teoria das Zonas é considerada a base da moderna Reflexologia dos PésZonas da Reflexologia e a maioria dos reflexologistas usa a Terapia por Zonas como um útil complemento para seu trabalho. As zonas se estendem desde os dedos e os artelhos até a cabeça. Cada zona corresponde a m dedo ou artelho específico. O polegar e o hálux pertencem a zona I e assim até o dedo mínimo e o quinto artelho pertencem a zona 5. Depois foi mapeado as zonas transversais que se divide em três.

Na America Latina, a Zonoterapia e em seguida a Reflexologia foram trazidos a principio ao Paraguai pela Missionária Margarida Gootaht, que passou a ensinar no Instituto Conaras. Vários brasileiros formaram-se neste Instituto e trouxeram a Reflexologia para o Brasil. Hoje, graças aos esforços destes pioneiros, a Reflexologia está espalhada pelo mundo, sendo conhecida e utilizada em mais de 20 países.


PRINCÍPIO DO MAPEAMENTO DOS PÉS

PRINCÍPIO I

Mapamento dos Pés Princípio 1

Mapamento dos Pés Princípio I

PRINCÍPIO II

Mapamento dos Pés Princípio 2

Mapamento dos Pés Princípio 2

PRINCÍPIO III

Mapamento dos Pés Princípio 3

Mapamento dos Pés Princípio III